Mudanças de humor e depressão

Além dos sintomas fisiológicos da EM, a doença tem efeitos mais difíceis de se atingirem na   constituição psicológica de uma pessoa. A negação (recusa a acreditar que isso possa ser possível), ansiedade, medo, raiva, sentimento de culpa, lamentação e mudanças bruscas de humor são as emoções típicas associadas à doença.

 

As dificuldades cognitivas (na maioria dos casos, é pequena) têm sua origem no processo característico da EM. Elas incluem a redução da competência intelectual, que pode ser expressa na forma de aumento do esquecimento, concentração perturbada ou diminuição da atenção. Há também os fatores de estresse que podem afetar as pessoas e que resultam da EM: a incerteza sobre o diagnóstico, o curso imprevisível da doença e os sintomas “ocultos”, como a fadiga e a fraqueza.

 

As pessoas com EM têm predisposição à depressão e isto é geralmente o resultado das mudanças inflamatórias no sistema nervoso. A depressão também pode ser uma reação à mudança no estilo de vida que a EM exige ou pode ser um efeito colateral da medicação. Por causa disto, é importante reconhecer quaisquer mudanças de humor no estágio inicial e diagnosticá-las adequadamente. O apoio dos parceiros, da família ou amigos ajudará a pessoa com EM a superar a depressão leve. Em algumas circunstâncias, pode ser adequado o tratamento com medicamentos psico-farmacêuticos especiais. Entretanto, no caso de depressão grave, deve ser considerada a possibilidade de procurar ajuda profissional, na forma de uma psicoterapia ou tratamento com medicamentos. Em alguns casos, falar com outras pessoas em um grupo de auto-ajuda para quem tem EM também pode ser benéfico.